sexta-feira, 28 de junho de 2019

“Máfia do lixo” continua na impunidade


Inúmeros indícios de fraude na contratação e licitação da SLEA, além de supostos pagamentos de propinas, falta de transparência, ausência de fiscalização, além de uma empresa prestando serviço no lugar de outra que havia vencido o certame. Irregularidades essas, denunciadas pelo blog.
Incessantemente a Polícia Federal e o Ministério Público vêm trabalhando para desarticular  e indiciar os envolvidos da “Máfia do lixo”, principalmente uma das empresas envolvidas, a SLEA (São Luís Engenharia Ambiental) ligada ao grupo Queiroz Galvão, que é a principal envolvida nas inúmeras falcatruas junto à prefeitura de São Luís, no que tange o gerenciamento dos resíduos sólidos de São Luís. De acordo com as leis, os envolvidos poderão ser presos.
Nenhuma nota à imprensa foi emitida, a Prefeitura de São Luís silenciou sobre o caso. As denúncias chegaram à Câmara de Vereadores e resultaram no pedido de impeachment do prefeito Edvaldo Holanda.
Mesmo com tamanha repercussão, o silêncio imperou!
Contudo, algumas perguntas ainda precisam ser respondidas. Como a SLEA assinou um contrato bilionário sem sequer ter participado do processo de licitação? E se ouve auditoria instalada por Edvaldo, por que o contrato com a SLEA não foi suspenso imediatamente com a constatação da irregularidade? Em contrapartida, Edvaldo manteve o contrato de R$ 3 bilhões que permite a SLEA “comandar” o lixo da capital durante 20 (vinte) anos.
Providências precisam ser tomadas para penalizar todos os envolvidos. Inúmeras denúncias foram divulgadas pelo blog athenasmaranhense.com.br/, no entanto, todos os envolvidos continuam impunes.

quinta-feira, 27 de junho de 2019

ELEIÇÕES UFMA: NATALINO SALGADO É O VENCEDOR DAS ELEIÇÕES PARA REITOR PELA TERCEIRA VEZ


A comunidade acadêmica universitária da Ufma foi às urnas durante todo o dia 26 de junho escolher o novo reitor da instituição. Quatro candidatos colocaram seus nomes à disposição de estudantes, professores e técnicos administrativos, sendo um deles apoiado pela atual gestão da Universidade. João de Deus Mendes Silva é professor do Departamento de Matemática e junto com a reitora, que foi apoiada por Natalino, pleiteava o cargo máximo da Ufma, sendo classificado em segundo lugar. Ridvan Fernandes, também do Centro de Ciências Exatas, irmão da reitora da Uema Sul, Elizabeth Fernandes, obteve votos no CCET e CCH, ficando em terceiro lugar na votação geral. Welbson Madeira, candidato da Apruma, obteve o quarto lugar. 

O professor e médico Natalino Salgado, sob o slogan "Para Cuidar Bem da Ufma", obteve maioria esmagadora de votos,vencendo em todos os segmentos: estudantes, técnicos administrativos e professores.
Pela terceira vez, Natalino volta à instituição para continuar seu trabalho de consolidação dos avanços obtidos em sua gestão 2007-2015, onde transformou a instituição em uma das maiores e mais bem reconhecidas do país, sediando grandes eventos como a SBPC e outros.

O reitor eleito da UFMA voltará ao cargo em um contexto completamente diferente, uma vez que a instituição vive uma crise por conta da atual gestão que instalou o caos na instituição. A posse de Natalino enquanto reitor deve ocorrer em novembro desse ano.


Estudantes: O professor João de Deus, que realizou campanha massiva em meio à comunidade acadêmica estudantil, sobretudo em relação às críticas à gestão de Natalino, perdeu entre os estudantes. O maior flanco de sua campanha frustrou o candidato, que apostava no corpo estudantil por conta de sua atuação frente à pró-reitoria de assistência estudantil na instituição.


Para Vice-Reitor: 

Como a eleição de vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão ocorre de forma independente, assim como a de reitor, sete candidatos disputaram o voto da comunidade acadêmica e Allan Kardec saiu vitorioso com pouco mais de 32% e encabeçará a lista tríplice a ser encaminhada para o presidente Bolsonaro.

Em segundo lugar ficou o professor Luciano Façanha com 23,5% e fechando a lista está Marcos Fábio com 13%, primeiro candidato oriundo do interior a concorrer a vaga.

Em quarto lugar ficou Wener Miranda com 9,6%, depois veio o ex-vice-reitor Antônio Oliveira com 7,25%, seguido por Walter Cezar com 6,6% e por último José Eduardo Batista com 4%.

Vale lembrar que dos 7 concorrentes, quatro declararam apoio aberto a candidatura a reitor de Natalino Salgado, juntos eles obtiveram 32% dos votos válidos.

Agora Allan Kardec, Luciano Façanha e Marcos Fábio vivem a expectativa da escolha do novo vice-reitor por parte do presidente Bolsonaro, assim como Natalino Salgado, João de Deus e Rydivan aguardam a escolha para ocupar o cargo de reitor da UFMA.

quarta-feira, 26 de junho de 2019

PREFEITO DE CAMPUS USOU A PRÓPRIA EMPRESA SEM LICITAÇÃO PARA REALIZAR SERVIÇOS NA UFMA DE BALSAS


O prefeito de Campus, Deivid Porto Ferreira, tem digitais fortemente impressas no relatório distribuído ao grupo abrigado na Associação de Professores da Universidade Federal do Maranhão, Apruma, que vem fazendo sistemática campanha de difamação contra a candidatura do professor Natalino Salgado.

Com base no relatório elaborado pela Prefeitura de Campus, Precam, que em nenhum momento associa o nome de Natalino Salgado a atos ilícitos ou de desvio de recursos, porta-vozes do grupo colaboram para enlamear o processo eleitoral na Universidade Federal do Maranhão, UFMA.

Denúncias sem argumentação legal desviam o foco das irregularidades perpetradas pela gestão que sucedeu o professor Natalino Salgado na UFMA. Sócio, administrador ou dono da empresa Porto Ferreira Ltda, aberta em 2015, o prefeito de Campus está sendo útil sem nenhuma inocência.

Em novembro de 2016, o engenheiro Deivid Porto, na condição de Diretor do Departamento de Obras, esteve acompanhando a reitora Nair Portela, e o pró-reitor de Assistência Estudantil, João de Deus, em vistoria ao campus da UFMA em Balsas. Na ocasião a reitora manifestou entusiasmo, impressionou-se com a dinâmica da execução das obras realizada pela ‘Firma licitada” e chegou a prever a entrega do novo campus no primeiro semestre de 2017.

A história seguiu e em agosto de 2018, o prefeito de Campus, Deivid Porto Ferreira, contratou a empresa com dispensa de licitação a empresa Edmilson de Oliveira para realizar serviços remanescente da complementação do centro administrativo do campus da UFMA em Balsas, sob justificativa de rescisão contratual. Valor do contrato: R$ 424.953,67.

Polícia Federal investiga desvios de R$ 4 milhões em obras no campus de Balsas até 2015
Os fatos foram solenemente ignorados pelo grupo da oposição com foco centrado na candidatura do professor Natalino Salgado. A disputa aética e desmesurada potencializada pelo grupo tem sido condenada por parte dos candidatos que disputam a consulta prévia que a comunidade universitária da instituição federal deve realizar no dia 26 de junho.

Em debate realizado esta semana no Centro de Ciências Sociais, os candidatos Natalino Salgado e Ridyvan criticaram a forma como a disputa vem acontecendo no ambiente acadêmico, reproduzindo a carnificina moral das acirradas disputas eleitorais pelo poder, com os meios justificando os fins.

“Os debates são essenciais para o exercício e amadurecimento democrático. Eles colaboram sobremaneira para o bom combate”, ressaltou o professor Natalino Salgado em suas considerações sobre a oportunidade confrontar propostas.

Por Diego Emir

terça-feira, 25 de junho de 2019

VALE A PENA VER DE NOVO: ANP virou caso de polícia envolvendo candidato a vice-reitor da UFMA, Allan Kardec


Nos últimos anos, quando a crise global não aparecia nos pesadelos de ninguém, o petróleo do pré-sal e a exportação de etanol eram celebrados como promessas de ganhos fabulosos e imensa prosperidade para o Brasil. Em 2009, em plena recessão global, o pré-sal foi para os arquivos à espera de uma melhor oportunidade e nossas principais matrizes de energia ocupam um universo de escândalos, suspeitas e operações obscuras ocorridas no interior da Agência Nacional do Petróleo (ANP), agência nascida para regular o funcionamento de empresas ligadas ao petróleo e a outros combustíveis, como o etanol.

Num país onde a aparelhagem política é um expediente frequente para entregar fatias inteiras do Estado à exploração dos amigos, não chega a ser surpresa que a ANP tenha se transformado numa reserva do PCdoB, legenda que nasceu como braço nacional da versão albanesa do comunismo e hoje é uma aliada disciplinadíssima do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Em torno de Haroldo Lima, ex-deputado e membro do Comitê Central do PCdoB que ocupa o cargo de diretor-geral na ANP – o posto máximo na estrutura da agência –, gravitam nove dirigentes em posições estratégicas de comando, participação tão destacada que determinados observadores fazem justiça ao lendário bom humor do Rio de Janeiro, onde fica a sede da ANP, dizendo que o governo Lula criou a ANP do B. Membro da Comissão Estadual do PCdoB do Maranhão, Allan Kardec Duailibe Barros Filho comanda uma diretoria. Outros três dirigentes do partido são chefes de escritório, em São Paulo, no Distrito Federal e na Região Nordeste. Outros dois são superintendentes. Os demais ocupam lugares em diversas assessorias (confira quadro na próxima página).

Clássica barreira destinada a impedir a transparência de órgãos públicos, o aparelhamento da ANP conseguiu manter na sombra, por anos, duas situações escandalosas e preocupantes. Na área do etanol, a agência transformou-se numa usina de subsídios envoltos em mistério. Além de um pacote de R$ 178 milhões, revelado por ÉPOCA na semana passada, dirigido a usineiros que afirmam não ter recebido o dinheiro, sabe-se agora de novos acertos. Eles totalizam R$ 50 milhões, saídos dos cofres do governo em condições parecidas. Na liderança das operações, distribuindo pagamentos e fazendo contatos em Brasília, aparece um empresário conhecido nos gabinetes políticos: o lobista Paulo Afonso Ricardo Braga, de São Paulo.

Há muitas interrogações sobre os negócios do lobista Paulo Afonso. De acordo com um documento registrado em cartório por Paulo Afonso e pelos usineiros – ao qual ÉPOCA teve acesso com exclusividade –, a comissão cobrada por ele na operação ficou entre 28% e 31% do total que fosse obtido – uma margem altíssima, sob qualquer aspecto. Ela lhe daria uma remuneração em torno de R$ 50 milhões pelo negócio. Uma soma tão grande reforça o mistério sobre o verdadeiro destino de parte do dinheiro, num ambiente em que a troca de favores com políticos e personalidades influentes no governo muitas vezes é indispensável para fechar um acordo financeiro como o obtido pelos usineiros.

Paulo Afonso é procurador da Binfield Overseas Co., uma empresa offshore com sede no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. De acordo com a documentação, Paulo Afonso tem poderes absolutos sobre a Binfield Overseas, embora não seja seu proprietário. Oficialmente, a offshore é sócia da brasileira Binfield Participações. A outra sócia é Cilene de Oliveira, ex-empregada doméstica da família de Paulo Afonso. Cilene reside numa casa simples de alvenaria num bairro pobre da Zona Sul de São Paulo. A suspeita é que Cilene ocupe o papel de laranja de Paulo Afonso – o que só contribui para tornar seus negócios ainda mais estranhos.

No capítulo petróleo, a situação também é suspeita. Acumulam-se episódios, em várias áreas da ANP. Muitos deles começaram a ser investigados pela PF, mas, em seguida, o caso foi se arrastando, se arrastando, até parar sem conclusão clara. Um deles envolve um episódio de extorsão. A história é chocante pelo início, pelo meio e pelo fim. Interessada em registrar uma empresa, uma advogada denuncia que lhe pediram uma propina de R$ 50 mil para conseguir o que queria. Ela chegou a gravar conversas com um alto funcionário que lhe dizia estar fazendo o pedido em nome do braço direito de Haroldo Lima, o superintendente de abastecimento Edson Menezes Silva, ex-deputado federal pelo PCdoB. Mas o assunto não andou. O registro não saiu e a denúncia ainda não levou a lugar nenhum. A ANP diz que colabora com as autoridades e aguarda o desfecho das investigações.

Outro caso, mais grave, está registrado num relatório atribuído à área de inteligência da Polícia Federal. O suspeito é o engenheiro Victor de Souza Martins, diretor da ANP, acusado de usar o cargo em benefício de uma empresa de consultoria, chamada Análise, de que detém 80% de participação acionária – a fatia restante pertence a sua mulher, Josënia Bourguignon Seabra. Como Victor é irmão do jornalista Franklin Martins, atual ministro da Comunicação Social do governo Lula e um dos mais influentes auxiliares do presidente, o caso ganhou uma dimensão política especial – de acordo com especialistas em petróleo, uma injustiça, pois Victor Martins teria méritos próprios para chegar a diretor da agência.

ROSEANA DESCARTA APOSENTADORIA E VAI VOLTAR A DISPUTAR EM 2022


Após a derrota ainda no primeiro turno na disputa do Governo do Maranhão em 2018, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), naturalmente saiu de cena e muitos apostam que ela já está aposentada da vida pública. Porém, a emedebista confessa aos mais próximos que pretende voltar as disputas eleitorais em 2022. De acordo com fontes de bom trânsito com a filha de José Sarney, ela deve disputar o Senado ou uma vaga para a Câmara Federal na próxima eleição.

Roseana avalia o resultado de 2018 como uma surpresa, ela acreditava que Roberto Rocha teria um desempenho melhor para garantir o segundo turno. E avalia que mesmo sem prefeitos, sem vereadores e ainda com setores da estrutura governamental trabalhando por Flávio Dino como a Polícia Militar, ela obteve expressivos quase 1 milhão de votos.

Apesar de sumida do noticiário político e dos holofotes, Roseana tem recebido políticos com certa frequência em sua residência. Além dos seus aliados de primeira hora, estão políticos que não estão no mesmo campo, dentre aqueles que mais conversam com a ex-governadora estão o senador Roberto Rocha (PSDB), a superintendente da Funasa, Maura Jorge e deputados, inclusive alguns da base do governo, caso de Felipe dos Pneus (PRTB).

Em 2020, ela pretende voltar a rodar o Maranhão durante as eleições municipais, porém pretende focar a atenção nas 15 maiores cidades do estado. Inclusive São Luís e Imperatriz estão no radar da ex-governadora.

A sua desenvoltura em 2020 e o cenário político é que vão definir qual cargo disputará em 2022…

Por Diego Emir

segunda-feira, 24 de junho de 2019

NOTA DO CENTRO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA EM APOIO AS CANDIDATURAS DO PROFESSOR NATALINO SALGADO E WENER SANTOS

As mudanças conjunturais e de cunho político vivenciadas no final de 2015 e início de 2016 visibilizam uma virada radical na concepção de direito a educação que estava sendo construída no país nos últimos anos. Vivenciamos cortes de verbas da educação, o que resultou no fechamento de instituições de ensino, presenciamos as questões voltadas a educação sendo posta como não prioridade, fomos vítimas da violação dos direitos a educação, direitos estes que foram conquistados com dificuldade e muita luta, inclusive pelos próprios estudantes e as entidades estudantis que os representam.

É de tarefa primordial das universidades e escolas públicas a luta contra seu desmonte, seja da classe estudantil ou docente. Educação não é privilégio, é um direito. O Centro Acadêmico de Pedagogia Gestão "Pedagogia em Ação" – UFMA Campus Dom Delgado defende o ensino público e de qualidade e deve participar da formulação de um programa de retomada da ampliação do acesso à universidade, com qualidade no ensino-aprendizado prioritariamente no ensino público, com a construção dos projetos políticos-pedagógicos e institucionais voltados ao interesse público e popular. 

Mais que isso, que o investimento na educação signifique o fortalecimento do setor público; a garantia de políticas de permanência efetivas e acessíveis ao conjunto dos estudantes que dela necessitem; o avanço da democracia interna na universidade; e o cumprimento da função social da universidade. 

Assim, acreditamos que somente o professor Natalino Salgado com sua vasta experiência de anos no Hospital Universitário com uma gestão impecável e como Reitor por duas vezes com uma gestão anelada com assistência estudantil e a permanência dos discentes dentro da universidade pode assumir, junto com o professor Wener Santos, um compromisso de luta que já carrega em sua história, fazendo a defesa intransigente, mesmo nesta conjuntura adversa, de uma universidade pública, gratuita, de qualidade, democrática e popular.


Wilson Garcia – Presidente CAPED
Maxsuel Silva – Diretor de Assuntos Estudantis CAPED/Vice Presidente UEE-MA

FLÁVIO DINO LANÇA PROGRAMA PARA PROMOVER RUBENS JÚNIOR PENSANDO NA PREFEITURA


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), lançou nesta segunda-feira (24) o programa “Nosso Centro”, de investimentos no Centro Histórico de São Luís.

Segundo o comunista, serão mais de R$ 100 milhões investidos na revitalização da área.

O programa ficará a cargo da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), sob o comando de Rubens Júnior (PCdoB).

O secretário, como já se sabe, é o pré-candidato a prefeito de São Luís preferido de Dino e da cúpula do governo. E aposta nesta ação específica para ganhar mais visibilidade na capital.

Por Gilberto Léda

A UFMA, SEU PASSADO RECENTE E O DESPREZO Á ÉTICA NA CAMPANHA ELEITORAL


Estamos encerrando uma campanha eleitoral para consulta à comunidade universitária que indicará os nomes para reitor e vice da UFMA. Quando decidi aceitar o desafio de disputar mais uma vez a reitoria da Universidade Federal do Maranhão, instado por um grupo que, como eu, devota por esta instituição enlevados sentimentos de dedicação ao serviço público, jamais imaginei que enfrentaria a sanha daqueles que se engalfinham pelo poder com desmesurada avidez, a ponto de violar, indiscriminadamente, espaços sagrados, como a própria estrutura familiar.

Os ataques às gestões que protagonizei se apegam a peças infundadas, com mero propósito de colocar-me na vala comum da enlameada política tradicional. Desconsideram até mesmo pareceres idôneos de instâncias máximas da instituição, como os Conselhos Superiores, colegiados que aprovaram todos os procedimentos das minhas administrações irrestritamente. 

Imaginei disputar na planície das ideias, enfrentando os percalços inerentes às contendas, desembainhando as propostas mais relevantes no sentido da construção, evidenciando nosso propósito de colocar a instituição no patamar da excelência, ensejado por todos aqueles que a constituem. Jamais me preparei para enfrentar as posturas medonhas, as leviandades carreadas pelos que nada propõem além da demolição moral. Sempre considerei estas posturas em qualquer pleito como meras filigranas que colaboram para anuviar o processo.

Em 2007, iniciamos um processo de transformação da Universidade Federal do Maranhão jamais visto em toda sua história. Trabalhamos para ampliar a instituição em todos os sentidos, expandindo suas instalações física, seu alcance acadêmico, ampliando o campus para o continente e abrindo um leque de cursos de graduação, pós-graduação e amparo às atividades administrativas. 

São inúmeros os avanços que podemos elencar neste período que a história com mão justa deve registrar independente dos desejos mesquinhos. Para fugir à acusação de cabotinismo barato, desviando das investidas adversárias, melhor não descrever em detalhes este irrefutável legado ou colocá-lo na merecida berlinda, embora seja esta uma postura paradoxalmente ao recomendado no período eleitoral.

Este legado lastreou nossa candidatura pelo grupo para o qual convergem os melhores propósitos para esta instituição. Entretanto, neste último quadriênio, desenhou-se uma curva decrescente em quase todos seus indicadores. Há, necessidade, da retomada da trilha vincada no passado recente que não me arvoro ser autor solitário. Sempre cri no trabalho coletivo e me mantenho fiel à ideia.

Nesta campanha, trilhamos caminhos que no passado construímos com esmero e dedicação. Na cruzada, não sucumbi à ética em nome da disputa pelo poder. Estejam certos que, passada a contenda, seguirei defendo a ética com a mesma intensidade com que venho me postando na vida pública e privada.

Natalino Salgado

COMO O CULTIVO DE OSTRAS PODE PROTEGER OUTRAS OSTRAS SELVAGENS


A disseminação de doenças de espécies cultivadas para populações selvagens é uma preocupação frequente na aquicultura. Mas, de acordo com Dr. Tal Ben-Horin, um pesquisador de pesca na Universidade de Rhode Island, as ostras cultivadas podem reduzir os riscos de doenças para as ostras selvagens filtrando a água nas proximidades, o que carrega os parasitas.

No seu estudo, em Elder Point, Baía de Delaware, Estados Unidos, foi feita análise das interações entre populações de ostras selvagens e cultivadas (Crassostrea virginica) e seu comum parasita Perkinsus marinus. Eles descobriram que as ostras cultivadas, quando colhidas regularmente, geralmente em menos de 18 meses, não liberam muito material infectado na água. Isso é tempo suficiente para filtrarem os parasitas, mas não para permitir a propagação dos parasitas.

A aquicultura alivia a pressão sobre as populações naturais e oferece uma alternativa para atender a demanda do mercado. À medida que a ciência e as melhores práticas de aquicultura das ostras avançam, podemos melhorar a relação simbiótica com populações selvagens para manter ótimo para ambos.

Os produtores de mariscos devem sempre estar cientes da possível presença de patógenos em suas águas e garantir que as sementes importadas para o seu estado não sejam infectadas por nenhum novo parasita.

Agora, um novo trabalho está em andamento para entender melhor o gerenciamento espacial, a extensão em que os parasitas podem se espalhar e que tipos de atividades deve ter em cada região.

sábado, 22 de junho de 2019

CINTRA, TRADICIONAL ESCOLA DA REDE PÚBLICA É EXTINGUIDA POR FLÁVIO DINO

O deputado estadual Wellington do Curso votou contra o Projeto de Lei nº 2019/2019, de autoria do poder executivo, que extingue a Fundação Nice Lobão – CINTRA. A votação aconteceu na manhã de quarta-feira (19), durante a sessão plenária, na Assembleia Legislativa.



Em seu pronunciamento, Wellington destacou a realização de audiência pública realizada no CINTRA e frisou que não houve qualquer transparência para extinção do CINTRA é tão pouco no processo de transição para IEMA, ou consulta à comunidade escolar sobre o processo de extinção da tradicional escola. Entretanto, a base governista, maioria na Assembleia, votou a favor do projeto de lei.

Na tarde de terça-feira, realizamos audiência pública para discutir a extinção e transição do CINTRA para IEMA e constatamos que não houve qualquer tipo de reunião ou consulta aos alunos, pais de alunos, professores e comunidade. A verdade é que ninguém sabe da existência desse projeto que irá extinguir a Fundação Nice Lobão e nem sabem como vai ocorrer essa transição para IEMA. No entanto, a mensagem que o Governador Flávio Dino mandou para esta casa encaminhando o Projeto de Lei 219/2019 que extingue a Fundação, é mentirosa, pois segundo ela, houve consulta aos discentes, servidores, docentes e responsáveis. Entretanto, nós realizamos audiência pública na tarde de ontem onde constatamos que ninguém sabe de nada. Sabemos que o IEMA só tem ensino Médio, mas e o ensino fundamental que havia no CINTRA, como fica? Vão colocar os alunos em escolas que já estão superlotadas? Além disso, recebemos diversas denúncias sobre a falta de estrutura e fim dos esportes na escola. A verdade é que Flávio Dino está fazendo isso por birra e, o mais grave, não houve transparência e nem discussão sobre extinção do CINTRA e muitos alunos poderão ser prejudicados. Por isso, sou contra o projeto de lei que extingue a Fundação Nice Lobão”, disse o professor e deputado Wellington.

Por Diego Emir

COMO TRAZER OS EMPREGOS DE VOLTA

Resultado de imagem para EMPREGOS

Depois da enorme repercussão de meu último artigo, no qual informei aos maranhenses da perda da siderúrgica da Vale e seus 15 mil empregos para o Pará, muitas pessoas me pediram para escrever sobre como podemos trazer de volta os grandes empreendimentos ao nosso estado. Topo o desafio e lamento que o governador e seu secretário de indústria e comércio perderam uma ótima oportunidade de entrar, pela primeira vez, em um debate sério e realmente relevante para a população.

Ao invés de propor solução ao problema que expus, o governo soltou uma nota, repleta de insultos pessoais, desculpas e mentiras. Argumentos ad hominem, próprio dos comunistas, são bem fáceis de fazer, não gosto de usá-los, mas vou construir a próxima frase baseada neles.

A nota foi assinada pelo secretário, eterno suplente de deputado federal, que de tamanha incompetência nunca conseguiu a confiança dos maranhenses para se eleger a um cargo político, mesmo utilizando-se da máquina do governo estadual por 4 anos. Essa frase, apesar de verdadeira, não vai mudar a sua ou a minha vida. Mas o fato é que um agente público que utiliza-se de argumentos como esse ao invés de dar soluções ao problema não deveria estar no cargo. Está na cadeira tão apenas por ser apoiador político do projeto de poder do governador. Então vamos a primeira ação para trazer os empregos de volta ao Maranhão: trocar o secretário de indústria e comércio por alguém mais preparado e que saiba atuar na área.

Após trocar o secretário, criar um programa de governo que incentive empresas a se instalar no Maranhão e que ajude as nossas companhias a crescerem e a investirem, principalmente no interior. Como mencionei no último artigo, o atual governo acabou com o ProMaranhão, programa que conseguiu atrair centenas de empresas ao estado, como a Suzano e a Eneva. No lugar dele lançou o MaisEmpresas, um projeto que de tantas falhas se tornou um fracasso. Fui um dos poucos deputados a votar contra essa mudança. O MaisEmpresas não incentiva em nada o investimento no Maranhão.

É preciso voltar a construção dos distritos industriais que foram iniciados no governo retrasado. O recurso para finalizar essas obras foi deixado por Roseana no âmbito do financiamento do BNDES, o programa Viva Maranhão.

Esses distritos vão facilitar a instalação de empresas e reduzir custos ao investidor em cidades de médio porte. Cada distrito terá sua vocação, dependendo do potencial econômico de cada região. Eles podem virar no futuro polos importantes de processamento de alimentos, produção de calçados, produtos de limpeza, etc.

O próximo passo é uma ação voltada à capacitação de mão de obra especializada. Após mapear o potencial econômico de cada região, o governo deve oferecer cursos voltados a área de interesse de cada distrito industrial.


O governo também precisa passar credibilidade e estabilidade ao investidor. O governo deve repensar os aumentos sucessivos de impostos e voltar a fazer o que prometeu durante a campanha, as reuniões com a classe empresarial.

O governador deve parar de bater boca com o presidente Bolsonaro e incentivar os seus senadores a fazer o mesmo. É importante termos força a nível nacional para não perdermos novamente empreendimentos para outros estados.

Em suma, o Maranhão precisa de um bom profissional liderando a secretaria de indústria e comércio, um programa de incentivo a atração de empresas, distritos industriais espalhados nas cidades de médio porte do interior, trabalhadores capacitados, um governo com credibilidade com os investidores e com força a nível nacional. Quando tivermos isso, os empregos voltarão ao Maranhão!

Por Adriano Sarney

NATALINO PARTICIPA DO ÚLTIMO DEBATE EXPLICANDO SUAS PROPOSTAS E PLANO DE GESTÃO

Natalino Salgado apontou esquivos administrativos da atual gestão da UFMA, como como a sobre de R$ 3 milhões da verba destinada às assistência estudantil, cuja aplicação até hoje é um mistério
No último debate antes do encerramento do período de campanha para a consulta prévia aos cargos de reitor e vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão, UFMA, o professor Natalino Salgado expôs para os alunos do Centro Acadêmico de Medicina Antonio Rafael, CAMAR, propostas importantes do seu plano de gestão para o quadriênio 2019-2023, costurado pelo coletivo Pacto pela UFMA. O candidato da situação, João de Deus, abandonou o debate logo após o início, alegando outros compromissos.

Salgado reforçou a forma democrática como pretende gerenciar os recursos da UFMA, norteado pela impessoalidade indistintamente em todas as ações. “Se for eleito, no dia seguinte publico edital para realizar eleição direta em todos centros, elegendo de forma democrática os diretores para que estes defendam a comunidade e não o reitor”, garantiu o candidato. Segundo o candidato, as decisões colegiadas serão parâmetros da gestão para obter melhores resultados.

“Quando recebi a reitoria o curso de Medicina estava em crise. Fizemos uma comissão provisória, a partir daí começamos a reestruturar o curso. Dobramos o número de professores e fizemos uma biblioteca, entre as 12 que construímos e inauguramos. Mas, há quatro anos não se coloca um livro sequer no acervo”, destacou. 

Natalino Salgado assinalou equívocos administrativos da atual gestão da UFMA e citou como exemplo os recursos destinados à Assistência Estudantil, hoje em torno de R$ 17,5 milhões, defendendo aplicação transparente e participação dos conselhos. “Não basta estabelecer regras. Tem que ter maior transparência. No último relatório de gestão, publicado em 20 de agosto de 2018 foi citado sobra de R$ 3 milhões que não se sabe onde foram aplicados”, observou o candidato a reitor.

O candidato ainda discorreu sobre questões de instalações e novos sistemas de gestão para conter desperdícios. “Há muito o que fazer e somente poderá fazer aquele que possuir experiência. No período em que estivemos na reitoria da UFMA, conseguimos transformá-la em uma universidade inclusiva adotando o sistema de cotas. Aqui mesmo fizemos um convênio com o Conselho Federal de Medicina que avaliou e conseguiu demonstrar que o curso tinha qualidade e profissionais competentes. E o ponto mais positivo desta avaliação foi o Hospital Universitário”, enfatizou.



Por Daniel Matos

sexta-feira, 21 de junho de 2019

RETA FINAL: O CANDIDATO NATALINO SALGADO E SUA INCANSÁVEL CAMPANHA NA UFMA

Na reta final da campanha para as eleições à reitor e vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão, faltando apenas poucos dias para o pleito, Natalino Salgado segue forte e mais firme do que nunca, promovendo uma campanha limpa e  com uma grande equipe coesa e confiante. 

Pela manhã, o professor Natalino concedeu entrevista à Rádio Educadora e à Rádio Timbira (Programa Comando da Manhã). Assista aqui: https://www.facebook.com/natalinosalgadofilho/posts/2149459521833579/

O candidato também participou na tarde da sexta-feira (21/06) do debate promovido pelo Centro Acadêmico de Medicina. Na oportunidade, o professor debateu diversas questões relacionadas à sua proposta de trabalho e pôde contar com o apoio de diversos estudantes e professores em sua comitiva de campanha.


Em seguida, seguiu com sua equipe para o Centro de Ciências Humanas - CCH, onde se reuniram com os Centros Acadêmicos no final da tarde do mesmo dia.


Um balanço das suas gestões anteriores foi publicado pelo Jornal Pequeno em forma de entrevista, com o candidato expondo suas propostas para o próximo mandato e respondendo a perguntas que vão desde infraestrutura na UFMA, até a doação de títulos de terra que o professor Natalino fez na sua gestão para as comunidades no entorno da universidade. 

MARINHA EMITE ALERTA DE VENTOS FORTES PARA O LITORAL DO MARANHÃO

 Resultado de imagem para ALERTA DE VENTOS FORTES

Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), participa que poderão ser observados ventos fortes de direção Leste a Sudeste até 60 km/h (33 nós) entre o litoral do Rio Grande do Norte, ao norte de Touros (RN) e o litoral do Maranhão até São Luís (MA), entre o dia 21 à noite e o dia 22 à noite. 

A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em vigor no endereço eletrônico https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo. 

Adicionalmente, as informações meteorológicas podem ser visualizadas na página do Serviço Meteorológico Marinho no Facebook, no link: https://www.facebook.com/servicometeorologicomb/, e por meio do aplicativo "Boletim ao Mar", disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (RUMAR). 

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio. 


Contato: Assessoria de Comunicação Social da Diretoria de Hidrografia e Navegação Área de Imprensa: https://www.marinha.mil.br/dhn/comunicao Tel.: (21) 2189-3387 E-mail: dhn.comunicacaosocial@marinha.mil.br

Fonte: MARINHA DO BRASIL

ESTADO DEPLORÁVEL DA MA-211! A SAGA TRISTE DAS NOSSAS RODOVIAS CONTINUA

          

O Blog do Gilberto Léda recebeu nesta sexta-feira (21) imagens do estado deplorável em que se encontra a MA-211, na Baixada Maranhense.


Os serviços já deveriam ter sido finalizados em setembro do ano passado, segundo ordem de serviço assinada pelo comunista.

Mas seguem se arrastando…

Por Gilberto Léda

SITUAÇÃO DE PM's NÃO NOMEADOS RESULTARÁ EM UMA AÇÃO CIVIL PÚBLICA PELA OAB-MA

No início da tarde de quinta-feira (20), o deputado estadual Wellington do Curso declarou, em suas redes sociais, que a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/MA ajuizará Ação Civil Pública em defesa dos aprovados no concurso da PM-MA.

A Ação resulta de inúmeras audiências e intermediações do Deputado Wellington em defesa dos soldados formados e não nomeados.

São homens e mulheres que estudaram e foram aprovados em todas as etapas no concurso da Polícia Militar do Maranhão. Como deputado estadual, já solicitamos, na Assembleia Legislativa, a imediata nomeação dos aprovados no concurso da Polícia Militar. Existe previsão orçamentária, por exemplo, para a nomeação imediata de 2.000 novos policiais. Falta é competência! Flávio Dino não nomeia os aprovados no concurso da PM porque não quer

Atualmente, o Maranhão conta com 37 secretarias e agências. Por que não reduziu as secretarias? Por que não reduziu o número de cargos comissionados? E o que falar sobre essa ânsia de arrecadação de Flávio Dino? Que já aumentou o imposto dos combustíveis 3 vezes, por exemplo? O Estado arrecada sim! O suficiente para nomear concursados. Deveria ser questão de prioridade nomear os policiais militares. Nos reunimos, com aprovados e não nomeados, na OAB. Coletamos provas. Realizamos inúmeras audiências e, agora, a questão será judicializada. A nossa luta continua”, disse o deputado Wellington.

Por Diego Emir

MORTANDADE DE PEIXES NO LITORAL DE SÃO LUIS PREOCUPA ESPECIALISTAS

Na última semana, até um peixe com risco de extinção foi encontrado morto na Praia de São Marcos.


A morte de várias espécies de peixes no litoral de São Luís tem preocupado especialistas. Biólogos acreditam que a reprodução de algumas espécies em águas rasas do litoral pode ser uma possível causa da morte de peixes encontrados na areia da praia.

Vários tipos de peixes foram encontrados mortos na Praia de São Marcos, em São Luís, nos últimos dias — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Na última semana, grandes e pequenas espécies de peixes apareceram mortos na areia da praia de São Marcos. O que mais chamou atenção foi um mero de um metro de comprimento, que está com risco de extinção. Na fase adulta, esse animal pode medir até 2.5 metros e pesar 350 kg.

"Um mero é difícil da gente encontrar. Na beira da praia as pessoas ficam curiosas. Eu sabia que existia um mero, mas pessoalmente nunca tinha visto", afirmou o garçom Josivaldo Viana, que também viu o peixe.


Mero de 1 metro de comprimento é achado morto na praia de São Marcos, em São Luís — Foto: Reprodução/ TV Mirante

O mero é comum no litoral maranhense, mas a pesca, o consumo e a comercialização é proibida. Caso um peixe desse tipo seja encontrado na areia, pesquisadores da UFMA pedem que as pessoas informem o laboratório de organismos aquáticos. O número: 9 8405-4278.

Apesar desse e de outros casos, o biólogo Jorge Nunes afirma o fenômeno ainda não se trata de uma mortandade de peixes.

O fato deles terem sido encontrados na praia é uma situação corriqueira das correntes de maré, então a gente costumeiramente encontra vários animais encalhados na praia", declarou o biólogo.

Porém, especialistas também afirmam que, nos próximos meses, com a mudança de clima, fim do período chuvoso e ventos fortes, há a possibilidade de ocorrerem mais mortes de peixes nas praias e nos manguezais da ilha de São Luís. Um dos motivos é a reprodução ainda maior de algumas espécies encontradas em águas rasas.

"Existe um período onde os cardumes de sardinha vão buscar refúgio e alimentação nas nossas águas. Com uma grande quantidade de animais, eles são seguidos pelos seus predadores naturais. Uma estratégia de fuga desses animais é buscar locais mais rasos. Daí, um aumento descomunal de sardinhas em locais rasos pode causar uma diminuição de oxigênio, o que é um problema muito grave", afirmou Jorge Nunes.

Fonte: G1 MA

quinta-feira, 20 de junho de 2019

FLÁVIO DINO DECLARA: "DESEJO QUE HAJA EXPLORAÇÃO COMERCIAL DA BASE DE ALCÂNTARA"


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), não vê qualquer problema no acordo assinado pelo governo brasileiro com os Estados Unidos, que permite o uso comercial da base do Centro de Lançamento de Alcântara, em seu estado. Mas, para evitar qualquer sobressalto entre seus correligionários, o comunista coloca como condicionante a garantia de preservação da soberania nacional. Em entrevista a VEJA, Dino também defende a união das esquerdas e a aproximação a liberais e sociais-democratas para romper um ciclo de derrotas que, em sua avaliação, determinou a vitória do presidente Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições de 2018, e comenta o papel do DEM, com quem firmou uma improvável aliança no âmbito estadual.

Leia a entrevista:

O governo brasileiro assinou um acordo com os Estados Unidos para permitir o uso comercial do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Qual é a avaliação do senhor? 

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que trata-se de um acordo de salvaguarda tecnológica. Ele foi assinado para garantir que qualquer empresa, de qualquer país que tenha tecnologia desenvolvida e patenteada nos Estados Unidos, siga determinados procedimentos. Isso é juridicamente comum. O que nós temos colocado sobre a base é o seguinte: em primeiro lugar, não há problema em assinar acordo de salvaguarda tecnológica com os Estados Unidos ou qualquer outro país. Segundo ponto: na eventual exploração da base, que espero que aconteça, a soberania brasileira deve ser preservada. Terceiro: para que haja exploração comercial da base, é essencial que o direito das populações tradicionais de Alcântara seja respeitado.

Então, o senhor não tem resistência à exploração da base? 

Pelo contrário, eu desejo que haja exploração comercial da base de Alcântara pelo maior número de países do mundo. A base é brasileira e deve continuar sendo brasileira. E deve ser alugada ou emprestada para qualquer país que queira fazer lançamento. Isso é bom para o Brasil ter receita e desenvolver um programa aeroespacial próprio.


Por Gilberto Léda

ELEIÇÕES NA UFMA: CONFIRA ONDE SERÃO AS SEÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO A REITOR E VICE-REITOR


Consulta Prévia 2019: Publicado ontem (19.06) no site da UFMA a divulgação das seções eleitorais e dos respectivos locais de votação.

A Comissão Coordenadora do Processo de Consulta Prévia à comunidade acadêmica para indiciação de nomes de candidatos a reitor e vice-reitor ao colegiado eleitoral especial divulga as seções eleitorais e os respectivos locais de votação.


Confira os locais de votação na Cidade Universitária - UFMA campus Bacanga e nos campi dos continentes: 

ABSURDAMENTE TCE-MA ARQUIVA DENÚNCIA CONTRA A "MÁFIA DO LIXO" EM SÃO LUÍS

Conselheiro Edmar Cutrim, investigado por corrupção, foi relator do procedimento


SÃO LUÍS-MA: Há aproximadamente dois meses a série “Reciclagem” — produzida pelos blogs Neto Cruz, César Durans, Ilha Rebelde, em parceria com o site Maranhaodeverdade.com, — faz uma “varredura” no contrato de parceria público-privada que permitiu que a empresa SLEA – São Luís Engenharia Ambiental gerenciasse a limpeza urbana e a destinação de resíduos sólidos de São Luís por 20 anos, mesmo sem ter participado da licitação.

Depois de mostrar na matéria anterior, que o suposto esquema teria causado prejuízo aos cofres públicos com uma série de aditivos. Hoje, no 11º episódio da série, vamos revelar que uma “sujeira” escondida por anos nos porões do Tribunal de Contas do Estado, pode ter contribuído para que as irregularidades fossem mantidas ao logo de oito anos.

A cronologia do caso começou em 04 de maio de 2012, quando foi publicada a assinatura do contrato do segmento de Resíduos Sólidos celebrado entre a SLEA – São Luís Engenharia Ambiental S.A. e a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos de São Luís para parceria público-privada, na modalidade de Concessão Administrativa, para execução de serviços de limpeza pública e manejo de resíduos sólidos, através da coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos sólidos domiciliares, com implantação da Unidade de Beneficiamento de Resíduos da Ribeira, na capital maranhense.

Para a estruturação do projeto, foi realizada uma consulta pública no dia 07 de julho de 2011, seguida de uma licitação publicada em 24 de outubro daquele ano. O certame dessa concessão administrativa ocorreu por meio de uma Concorrência Internacional do tipo técnica e preço.

No entanto, no mesmo ano, a empresa Delta Construção S.A. resolveu ingressar com denúncia formulada no Tribunal de Contas do Maranhão (TCE-MA) para questionar o edital e a Concorrência Pública n.º 020/2011.

Na época, o Ministério Público de Contas se manifestou pela justificativa e documentos apresentados, considerando intempestiva a apresentação da denúncia, opinando pelo seu conhecimento.

Ocorre, entretanto, que o relator do procedimento, o conselheiro Edmar Serra Cutrim, ex-presidente do TCE, foi contrario aos argumentos e através da Decisão PL-TCE n.º 31/2014, resolveu não conhecer da denúncia por ausência de legitimidade ativa e optando pelo seu arquivamento, conforme autos do Processo n.º 11.132/2011 ao qual tivemos acesso.

O que causa curiosidade é que após essa decisão, uma série de medidas em relação ao processo foram tomadas pelo relator. Uma delas foi à decisão de determinar sigilo para que ninguém mais tivesse acesso aos dados do processo. Nos corredores e gabinetes da Corte de Contas, cogita-se que o conselheiro teria agido, usando a força do cargo e por intermédio das funções, em favor dos interesses da empresa denunciada, após suposto pagamento de propina em troca de favorecimento de decisão.

Edmar Cutrim é acusado de uma série de atos incompatíveis com o cargo. Além do seu envolvimento com nomeação de funcionários fantasmas, o conselheiro é investigado em um inquérito civil que tramita na 31ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, por suspeitas de possíveis atos de improbidade administrativa e crimes praticados contra a Administração Pública. (Veja portaria em anexo).

A incompatibilidade de Edmar com o cargo levou o ex-presidente do TCE, Caldas Furtado, a pedir a suspeição do colega no processo do Fundo Municipal de Saúde (FMS) de Axixá, referente ao exercício financeiro de 2011, de responsabilidade da prefeita Sônia Campos (PDT), conforme vídeo divulgado no YouTube.

Para apurar se Edmar atuou ou não como braço da máfia do lixo no tribunal, a reportagem vai encaminhar ao presidente do TCE, conselheiro Nonato Lago, um ofício no qual requisita as cópias de uma série de documentos relativos ao Contrato n.º 046/2012. A reportagem solicitou uma posição do TCE, mas não obteve nenhuma resposta da assessoria de imprensa até o fechamento da edição.

12º CAPÍTULO DA SÉRIE

No décimo segundo capítulo da série “Reciclagem”, que vai ao ar nos próximos dias, vamos mostrar como o prefeito Edivaldo Júnior furou a fila de precatórios para firmar um Termo de Reconhecimento de Firma em favor da SLEA.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

JURIDICAMENTE NATALINO SALGADO TEM GARANTIA DE MANDATO


Não há respaldo jurídico para a tese do afastamento do reitor na hipótese de aposentadoria do seu cargo efetivo. Entendimentos neste sentido amparados em pareceres emitidos pela Advocacia Geral da União, AGU, e Ministério da Educação desmontam tal afirmativa disseminada pelos adversários da candidatura do professor do Departamento de Medicina, Natalino Salgado, no processo de consulta prévia para construção da lista tríplice para escolha do reitor da Universidade Federal do Maranhão para o quadriênio 2019-2023.

Os pareceres, de maneira unânime e consensual na interpretação jurídica, categoricamente apontam que a aposentadoria compulsória não é condicionante para a permanência no cargo de direção da instituição federal de ensino superior. De forma que, designado reitor pelo Presidente da República, Natalino Salgado estaria legitimado para o cargo pelo período regimental previsto.

Também no âmbito do Ministério da Educação e das entidades vinculadas ao órgão, há parecer conclusivo que garante a permanência no cargo de direção de universidade federal o professor do magistério superior designado, não obstante ser este alcançado pela situação de aposentadoria compulsória. No mesmo diapasão jurídico, um Parecer nº 267/2015/ Conjur-MEC-CGU/AGU corrobora o entendimento anteriormente emitido.

Antes mesmo da deflagração do processo de consulta prévia, num gesto de reconhecimento do potencial eleitoral de Natalino Salgado, um reduzido grupo de opositores tentou casuisticamente impedir a candidatura do ex-reitor, amparando-se em alegação jurídica insustentável e de postura discricionária em relação a faixas etárias. Por esta época, Natalino Salgado angariou apoio da maioria da composição do Conselho Universitário para rechaçar falsos argumentos.

Visto como favorito no processo, sobretudo pelo legado das duas gestões sucessivas, quando a UFMA deu substancial salto em direções de destaques, Natalino Salgado tem sido alvejado por uma saraivada de acusações e conjeturas com propósito de enfraquecer sua candidatura. Segundo o candidato, os ataques em nada contribuem para que o debate sobre proposta deslanche.

Por Diego Emir